• Ínicio
  • >
  • Reviews
  • >
  • Séries
  • >
  • Altered Carbon – Análise – Um Futuro Não Muito Distante do que já vimos…

Altered Carbon – Análise – Um Futuro Não Muito Distante do que já vimos…

Por

11 de fev de 2018 ás 04h25

nota

7.5

/ 10

A Netflix lançou no dia 2 de fevereiro a primeira temporada de Altered Carbon, série baseada no livro de mesmo nome lançado em 2002, escrito por Richard Morgan e nos apresenta um mundo onde a imortalidade é algo possível graças a um cartucho que consegue armazenar a consciência humana e transferi-la para qualquer corpo (chamado nesse mundo de “capas”).

A história acompanha a jornada de Takeshi Kovacs (Joel Kinnaman) que após ser morto em uma emboscada militar, acorda 250 anos no futuro em um corpo que nunca viu e num mundo totalmente desconhecido para ele. Kovacs é contratado por um magnata chamado Laurens Bancroft para descobrir quem assassinou sua versão anterior, antes dele ter sua consciência transferida para outro corpo. A partir desse pontapé inicial a série nos guia pela investigação de Kovacs e de sua nova aliada, a tenente Kristin Ortega (Martha Higareda) que está relacionada ao caso de Bancroft, apresentando um futuro que é visivelmente inspirado em outros clássicos filmes de ficção cientifica como Blade Runner, Matrix e o mais recente Ghost In The Shell.

Conforme segue a investigação de Kovacs, conhecemos novos personagens que estão a favor ou contra essa investigação, permitindo ao público o questionamento das ações de cada um e desenvolvendo uma certa simpatia e raiva em outros. Um dos pontos fortes da série é a forma como ela questiona a vida e a morte em diversos contextos nos apresentando uma visão ética, política e religiosa sobre a influência do homem no controle e no desenvolvimento da vida humana e como esta ação pode interferir de forma direta ou indireta no cotidiano de cada um, permitindo compreender diversas abordagens mencionadas sobre o limite da tecnologia em relação a sociedade e como ela pode interferir em nossa visão de sociedade.

Resultado de imagem para altered carbon
Até a primeira metade da temporada, a série consegue manter um ritmo equilibrado e consistente em relação aos episódios, exibindo sempre ao final de cada uma imagem que faz referência a ações dos episódios seguintes, algo como uma brincadeira interna sobre transferência de consciência de um para o outro, porém com o decorrer dos episódios, o desenvolvimento dos personagens torna-se um fator preocupante, pois eles começam a perder aos poucos a essência que os tornava únicos acabando por transformá-los em genéricos, somente para complementar os episódios esticando a história até o décimo episódio.

Os Efeitos Visuais da série são consistentes e atrativos onde é notável perceber que a Netflix investiu pesado na série com cenários exuberantes e uma incrível riqueza de detalhes, nos fazendo acreditar em um possível futuro como aquele, possuindo uma ótima direção de arte e que representa muito bem uma sociedade distópica. O humor da série é bem sutil e controlado, sem proporcionar risos em momentos inadequados, as cenas de ação são aceitáveis, com um bom uso de slow motion em momentos chaves para as sequencias de ação da trama não tornando as lutas repetitivas.

Resultado de imagem para altered carbon

A premissa da série é bastante interessante, porém mal executada, desperdiçando o ótimo potencial que a série poderia render para o serviço de streaming entre outras séries sci-fis, nos levando a questionar se a série ainda pode apresentar algo novo em sua segunda temporada pois foi renovada antes mesmo da estréia da primeira e se ela conseguirá conquistar tanto os fãs que já leram o livro quanto ao público em geral.

Altered Carbon, Blade Runner, Ghost in the Shell, Matrix, Netflix, Netflix Séries, Original Netflix,