Os 10 melhores jogos para PlayStation 4

Por

22 de out de 2017 ás 10h54

Bem-vindo a mais um dos nossos fantásticos TOP 10!

Depois da lista dos melhores jogos para o Xbox One, decidimos publicar um artigo da mesma natureza para o PlayStation 4. Com o Natal chegando, ficam algumas dicas de presente, para pedir ou dar a alguém, de jogos ótimos para a plataforma caseira da Sony.

O PlayStation 4 celebra em Novembro o seu quarto aniversário, e ao longo deste período, conseguiu reunir uma boa e diversa lista de jogos recomendáveis para os seus compradores. Obviamente que, devido ao espaço limitado destas listas, nem todos os jogos podem ser mencionados.

ps4_pro

Com mais jogos promissores já previstos para o próximo ano, atualizaremos tanto esta lista como as outras que vierem com jogos de elevado calibre que superem a qualidade daqueles que foram escolhidos inicialmente.

Bora conferir o Ranking?

Uncharted 4: A Thief’s End

Uncharted 4 era o jogo mais aguardado de 2016 para PlayStation 4 e as expectativas dos fãs não podiam ser maiores. A Naughty Dog conseguiu criar uma aventura final para Nathan Drake cheia de momentos marcantes.

O jogo mantém a fórmula dos anteriores, mas conta com áreas maiores e expande a jogabilidade com a adição de um gancho e permitindo que se escondam dos inimigos em áreas de mato alto. Além disto, é um marco gráfico no PlayStation 4, sendo o jogo mais impressionante neste aspecto já lançado para o console até então. É o game perfeito para quem curte uma boa exploração aliado a uma aventura de primeira.

Uncharted 4 é uma despedida em grande estilo feito pela Naughty Dog. Não há garantia de que este será o último jogo da série, até porque isso depende dos desejos da Sony (e a série é uma das mais populares do PlayStation), mas é o último jogo de Nathan Drake. No final, não existem pontas soltas nem a sensação que poderá haver mais uma aventura para o personagem.

Também não nos parece que a série, tal como a conhecemos, tenha mais do que isto para oferecer. Uncharted 4 é um jogo fantástico e extremamente bem concebido que dará aos fãs tudo aquilo que procuram, mas os cenários exóticos, as perseguições alucinantes, as situações perigosas e as caças ao tesouro não são propriamente novidade. Adições como as áreas maiores e a opção de abordagem sorrateira aos inimigos melhoram a experiência, mas não a tornam muito diferente nem única. Apesar da inevitável sensação de familiaridade, Uncharted 4 ainda consegue ser um jogo marcante.

 

GT Sport

Gran Turismo Sport é o jogo da série que melhor se aproxima da visão de Kazunori Yamauchi, o criador e diretor da série. Como resultado, temos um jogo de corrida que acrescenta mais realismo e fervor visua. A PD é uma produtora que se esmera nas suas produções e desta vez isso reflete-se no que vemos e naquilo que podemos controlar.

Este ainda não é o Gran Turismo 7, nem o deverá substituir, mas está com certeza é uma das melhores experiências de de corrida desta geração, mesmo que apresente maior foco em competições online.

Evoluído graficamente, fluído e dotado de uma comando e direção realista, GT Sport é a nova referência da série, aproximando-se da simulação.

Injustice 2

A NetherRealm aperfeiçoou ao máximo a sua fórmula de jogos de luta com Injustice 2, oferecendo um pacote cheio de diversão e conteúdo apelativo para todos os tipos de jogadores. Além de tudo, é uma das melhores franquias de todos os tempos envolvendo heróis.

Injustice 2 não é apenas um excelente jogo de super-heróis, é também um dos jogos de luta mais competentes da atualidade. Em termos de conteúdos para um jogador, simplesmente não tem rival. O sistema de combate é acessível, mas também consegue ser complexo e equilibrado. O game introduz com sucesso um sistema de equipamentos e de personalização dos personagens que até agora era impensável no gênero, mas que funciona surpreendentemente bem. Injustice 2 é faz tantas coisas e de forma tão competente que é difícil pensar de que forma poderia ser melhor.

Ratchet and Clank

Ratchet and Clank é uma dupla que cresceu juntamente com os consoles PlayStation. O novo jogo foi lançado por conta do filme para os cinemas, mas não deve ser colocado de lado, muito pelo contrário. Foi uma oportunidade para a Insomniac refinar a experiência e de certa forma criar um remake do primeiro jogo. Existem alterações radicais, novidades, ajustes, afinamentos, e sensação de novidade envolta em familiaridade.

Ratchet and Clank chega na nova geração com uma jornada ao passado. Uma viagem que trilha munido de todas as ferramentas de destruição que o tornaram numa referência popular entre os fãs do PlayStation. Será fácil terminar este jogo com o sabor de que foi o melhor da série até o momento. É aquela tal postura de “Best of” da Insomniac que pegou em tudo o que gostamos e refinou ao ponto de tornar irresistível a experiência.

 

Persona 5

Um um ótimo JRPG! Tem uma história cativante, personagens memoráveis e melhora todos os aspectos de jogabilidade quando comparado ao anterior. Um desses aspectos melhorados é o design das masmorras, que em Persona 5 apresenta mais variedade e novas mecânicas que induzem ao jogador a vontade de explorar. Persona 5 também é uma espécie de portal para o Japão, que nos permite conhecer a cultura e curiosidades do país sem sairmos do sofá.

Persona 5 está entre os melhores jogos de todos os tempos. A Atlus superou-se e, apesar de não ter a visibilidade de outras séries de maior renome, a companhia demonstra que entende do gênero mais que qualquer outra companhia. Persona 5 é um daqueles jogos que estava destinado a existir, um jogo que é muito mais que um JRPG, é o JRPG, e logo se tornará referência, no futuro.

 

Batman: Arkham Knight

A Rocksteady já tinha entregado na geração anterior dois jogos fenomenais do Batman, que provaram que é possível fazer excelentes jogos com super-heróis no papel de protagonistas. Batman: Arkham Knight é uma continuação desses dois jogos que mantém os elevados padrões de qualidade com os quais os fãs ficaram habituados. Os jogadores que sempre quiseram ser o Batman mas não são milionários com o Bruce Wayne nem têm as suas habilidades de combate, vão achar os jogos da série, mas principalmente Akrham Knight um modo divertido, e seguro, de realizar essa fantasia.

Se ainda não está claro por que Batman: Arkham Knight é tão poderoso, vamos explicar: Quem não é fã do personagem, vai passar a ser, tal é a representação sem igual que a Rocksteady faz deste universo.

Se já é fã, então simplesmente vai delirar. Arkham Knight é um jogo que faz quase tudo bem, beirando a perfeição. Desde a história, combates, movimentação pela cidade, puzzles, gadgets, com destaque especial para o excelente trabalho dos dubladores, tudo está em sintonia para oferecer uma experiência inesquecível e muito divertida.

 

The Witcher 3: Wild Hunt

The Witcher 3 é a canção do cisne da CD Projekt. Depois de dois jogos aperfeiçoando a fórmula, o terceirou capítulo chegou como um bomba, oferecendo um mundo gigantesco para explorar e centenas de horas de gameplay, juntamente com 2 expansões fantásticas e mais de uma dezena de DLC totalmente gratuitas. É um dos jogos mais ambiciosos para a atual geração de consoles que alia uma história complexa, que tem ainda como recheio muitas sidequests, uma jogabilidade de ação direta no melhor estilo capa e espada e os seus poderosos ataques mágicos. Não é um título perfeito, mas a CD Projekt tem sido incansável desde o lançamento com atualizações regulares que melhoraram a experiência. É sem dúvida um título que merece a atenção daqueles que apreciam RPGs, boas histórias e boas aventuras.

É realmente extraordinário o mundo criado pela CD Projekt RED, temos tanta coisa para fazer que nos perdemos no meio de tantas linhas para prosseguir. Seja pela diversão ou apenas para elevar do poder de Geralt. Existem zonas que só poderemos explorar com eficácia quando estivermos em um nível bem elevado ou corremos o risco de mortes sistemáticas. As ações do jogadores influenciam diretamente o comportamento dos NPC.

 

Until Dawn

Until Dawn é um daqueles jogos que inesperadamente conquista. A Supermassive Games juntou uma história de terror à uma jogabilidade semelhante à de Heavy Rain e o resultado foi uma experiência singular. A história é cativante do princípio ao fim, os personagens estão bem caracterizados e há liberdade para tomar várias decisões que alteram o rumo da narrativa e que decidem quem chegará vivo ao final da noite.

Until Dawn não consegue ser um exclusivo de peso como Bloodborne, mas é uma boa surpresa para os fãs dos jogos de terror, ainda que seja diferente de tudo o resto que podem encontrar neste momento, como Evil Within e Outlast, por exemplo. A jogabilidade é limitada, tornando-o muito diferente de referências como Resident Evil (embora a franquia RE hoje em dia seja mais ação do que terror), mas não afeta a experiência. Em nenhum momento me senti prejudicado pelas poucas opções da jogabilidade, pelo contrário, até ajuda a intensificar as emoções de medo e claustrofobia. O conceito não é perfeito, mas esta surpreendente e responsivo quando aplicado a este gênero.

 

Bloodborne

Bloodborne é muito parecido com o masoquismo. Te castiga, te faz sofrer, te faz gritar, mas no final, o sofrimento vale a pena pois é extasiante. É a mesma filosofia que a From Software aplicou a Demon’s e Dark Souls, mas com Bloodborne o estúdio japonês aperfeiçoou ao máximo a sua fórmula e o resultado foi um dos melhores jogos de 2015 para a PlayStation 4. Não restam dúvidas quanto à qualidade de Bloodborne, mas, que fique avisado, não é um jogo para quem desiste facilmente. Bloodborne é maravilhoso, mas para que se possa ver todo o seu esplendor, é necessário de investir algumas dezenas de horas. Se possível, optem pela GOTY Edition, que inclui a recente expansão The Old Hunters, composta por novas áreas, bosses, armas e armaduras.É impossível chegar ao fim de Bloodborne e não considerá-lo um título essencial na prateleira, principalmente dos amantes de games do gênero Souls. A From Software e Hidetaka Miyazaki excederam-se e criaram um jogo fabuloso que merece todos os elogios que lhe têm sido feitos. Bloodborne é um dos jogos mais desafiantes e gratificantes que se pode encontrar. Sem margem de erro, Bloodborne estabeleceu, em seu lançamento, um novo padrão de qualidade.

Horizon: Zero Dawn

Horizon: Zero Dawn é um jogo essencial para qualquer um que tenha um PlayStation 4. É um jogo de aventura em mundo aberto com elementos RPG que, no primeiro momento, te surpreende com jogabilidade fluída e gráficos estonteantes, para, em seguida, te trazer uma trama rica e com muito lore. Como se isso não bastasse, ainda há a possibilidade de explorar livremente o mapa e descobrir segredos escondidos e novos upgrades, e o melhor, na ordem que o jogador definir, sem nada linear! O mapa desperta a vontade de explorar e as criaturas robóticas estão criadas de uma forma incrível.

Horizon é o expoente máximo da Guerrilla Games e demonstra o talento escondido deste estúdio holandês. Pessoalmente, há muito tempo não me divertia tanto num jogo em mundo aberto e tinha tanta vontade de explorar tudo o que o mapa, e o jogo, têm para oferecer. Horizon: Zero Dawn tem um mundo grande e cativante, uma personagem forte e carismática, jogabilidade responsiva e variada, e é visualmente delicioso. É sem dúvida um dos melhores jogos para a PlayStation 4, um verdadeiro pacote completo que usa com maestria as várias disciplinas que compõe os jogos de forma a deixar qualquer player extasiado.

Atlus, Batman: Arkham Knight, Bloodborne, CD Projekt RED, Dark Souls, Demon's Souls, Evil Within, From Software, Geralt, Gran Turismo 7, Gran Turismo Sport, GT Sport, Guerrilla Games, Heavy Rain, Hidetaka Miyazaki, Horizon: Zero Dawn, Injustice 2, Insomniac, JRPG, Kazunori Yamauchi, Nathan Drake, Naughty Dog, NetherRealm, Outlast, Persona 5, Playstation 4, Playstation 4 Pro, PS4, PS4 Pro, Ratchet and Clank, Rocksteady, RPG, Supermassive Games, The Old Hunters, The Witcher 3: Wild Hunt, Uncharted 4: A Thief's End, Until Dawn,